Diagnóstico de leitura do aluno

A importância da Leitura

“Ler é mais importante que escrever”

Ziraldo

jjjjjj

A leitura enquanto processo cognitivo de organização do pensamento é tão importante quanto a escrita,  a “leiturização” termo criado por “Jean Foucombert” discute a formação permanente e inacabada do leitor, esse, que sempre irá buscar e aprender cada vez mais, o processo de aquisição do conhecimento não será finalizado na escola, sendo a escola e outras instituições apenas o meio onde buscar e incentivar a leitura.

Hoje, a leitura é essencial, principalmente pelo avanço tecnológico, enquanto somos professores de uma era analógica, os alunos estão iniciando já na era digital, para eles é natural toda essa mudança que enfrentamos.

Que tipo de leitor queremos formar?

A criança aprende a ler, juntar sílabas, e isso se torna um trunfo para o professor.

“O fulano já está lendo”

Mas dentro do processo de aquisição da leitura, que tipo de leitor ele é?  Ele está lendo, mas está compreendendo o que lê? E mais, consegue inferir sobre o que lê?

Todas essas reflexões devem ser acompanhadas de diagnósticos tal qual fazemos na escrita.

Para isso, uma tabela para anotações é essencial, nela conseguimos visualizar a dificuldade que deverá ser trabalhada no grupo e ainda aquelas que percebemos que são individuais.

Para os pequenos, a leitura inicial deve ser incentivada principalmente com textos que sabe de cor, mas cuidado ao escolher o texto para a avaliação diagnóstica, esse deverá estar de acordo com o nível e a idade do aluno, deve ser curto e de contexto conhecido pelo aluno, não deverá ser parlendas, músicas ou outro texto que o aluno sabe de cor.

Para auxiliar no diagnóstico faça anotações individuais quando necessário.

Diagnóstico de leitura – clique aqui!

Ainda no diagnóstico, a que se avaliar quanto:

Leitura objetiva: a decodificação do texto, reconhecimento e interpretação explícita.

Leitura com inferência: consegue inferir informações implícitas.

Leitura Avaliativa: além da leitura consegue exprimir interpretações a partir de outras experiências de leitura ou vivência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *